sexta-feira, dezembro 10, 2010

1º Post sugestão

Blogger Jeune Dame de Jazz disse...

    Pode ser a propósito de "brainwashing"?

Bem a cerca deste assunto, quero vós falar de algumas coisas que acho relevantes.

-1º Temos que falar no cérebro numa cuba, que para alem de ser uma teoria fantástica tem um pouco que se lhe diga.
 O cérebro numa cuba é uma teoria irrefutável, ninguém poderá afirmar que o seu cérebro não se encontra em uma cuba controlada por um super computador que lhe vai dando impulsos que lhe simulam uma realidade que pare esse cérebro é mais que fidedigna. É claro que este é o sentido mais puro desta teoria, afinal de contas podemos dizer que ela vai de encontra aos estímulos que o nosso cérebro recebe dia a dia, ou seja o Brainwashing que recebemos diariamente de varias origens. Aí temos que assumir a teoria não como um super computador a debitar impulsos eléctricos mas sim um conjunto de origens com a radio, televisão, amigos... a debitar um conjunto de informação que se converte em impulsos eléctricos dentro do nosso cérebro que vai simular a nossa realidade(é claro que neste caso não será a realidade propriamente dita, mas sim a nossa realidade).
-2º gostava de observar o funcionamento do nosso cérebro. Já muita coisa foi dita, já muita coisa foi estudada. A verdade é que para alem de haver pessoas que dedicam a sua vida a estudar o cérebro nunca ninguém sabe a 100% como funciona, e devido a sua complexidade e inúmeras funções, basta não conhecermos 1% do funcionamento do cérebro para que este já tenha reacções/acontecimentos imprevistos e incompreensíveis. Para alem do mais, nós enquanto ser humano somos dotados de algo que ainda compreendemos menos que o cérebro muito menos, e que dita tudo em nós chamado "Alma" coisa que na minha opinião sabemos 0% e que para mim é a parte do nosso cérebro que não conhecemos.
-3º Falamos em uma era de "brainwashing". bem eu acho que é uma era de informação acima de tudo, a era de "brainwashing" acompanha-nos desde aquele momento em que o homem deixou de ser animal irracional para ser uma animal racional. Todos nós já utilizamos a expressão "bem eu não falo com os meus amigos como falo com os colegas de trabalho, ou com a família" A verdade é que adequamos o nosso discurso a cada pessoa no seu singular, mesmo que as diferenças sejam poucas, temos sempre a compreensão de detalhes que constituem cada pessoa no singular e adequamos a nosso discurso para aquele cérebro. Porque será que eu digo que isto é uma forma de "brainwashing", bem acabamos sempre por ter a nossa quota parte de "brainwashing" na pessoa que se está a falar, apesar de ser mínima se falarmos em uma pessoa, já não é assim tão pequena se compreender-mos todas as pessoas que fazem parte da vida de alguém.           


7 comentários:

Bartolomeu disse...

Excelente!
Sobretudo a teoria de onde acaba o brianwashing e começa o excesso de informação, ou... até que ponto nos é possível, distinguir e separar as duas realidades (?!)

Jeune Dame de Jazz disse...

Agradeço por ter co-respondido ao meu apelo :)
É interessante a sua aproximação…Mas, a propósito da mensagem cérebro numa cuba, não me parece ser essa a mensagem de Putman, muito menos vai ao encontro do Teeteto de Platão ao "definir" conhecimento como uma «opinião verdadeira justificada»… O modelo mecanicista, coitado, ficou-se no Descartes e Newton…
Não há muito tempo, enquanto procurei pelas associações de «brainwashing» li um texto de Dick Sutphen que se intitulava de «Persuasion & Brainwashing Techniques» onde podia ler-se o seguinte: «Conversion is a "nice" word for brainwashing and any study of brainwashing has to begin with a study of Christian revivalism in eighteenth century America. Apparently, Jonathan Edwards accidentally discovered the techniques during a religious crusade in 1735 in Northampton, Massachusetts. By inducing guilt and acute apprehension and by increasing the tension, the "sinners" attending his revival meetings would break down and completely submit». No fim, lembrei-me, de flash, da saga de Lutero e correspondentes problemas da exegese bíblica e intrínseca tentativa de «manipulação mental» do foro católico. A minha dificuldade passa por distinguir «brainwashing» de «mental manipulation» que me parece, aqui, usar como sinónimo… Quanto à sua distinção do homem como animal racional como bem saberá está ultrapassada, também a meu ver, por Derrida…

crotalus disse...

Caro Jeune,
Gostei muito do seu comment, vem com bastante informação, muito obrigado. Gostava também de saber qual é o seu entendimento em relação ao assunto. Já li algumas coisas em relação ao assunto, mas achei por bem colocar a minha opinião, e dar o meu contributo através da da teoria crotaliana escrita em 2010 em tudosofias.blogspot.

Abraço grande.

Bartolomeu disse...

;)
Pelo que entendi, estás a perguntar à Jeune, se a opinião dela, é baseada somente em opiniões de terceiros?!
;)
Pois... nestes assuntos, de discussão menos comum, preferimos sempre conhecer a opinião genuína de cada um, mesmo que somente para confirmar, em que pontos coincide com a nossa (de leigos, meramente curiosos).
No entanto, é fácil perceber que os "académicos" evitam trilhar "carreiros", preferem habitualmente acelerar nas "auto-estradas".
Imagina como seria, se um médico diagnosticasse por palpite!
;)
O mesmo se passa na tua área de formação, onde para cada item, existe uma acção determinada.
Contudo, à prióri, na opinião da Jane, falta encontrar a linha que separa, ou permite separar, ou definir, manipulação e submissão.
De resto, partilho contigo o carácter de importância dado às opiniões de sábios antigos, os quais viram muitas vezes as suas teorias refutadas.

Léo Silva Web Design disse...

MUITO BOM ! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog sobre poemas, e retribua o comentário ! http://leonardotk.blogspot.com/ SIGA MEU BLOG que eu sigo o seu de volta !caso queira seguir. Se puder ser poder fazer parceria :) Obrigado ! volto sempre aqui xD!
È um feliz natal e um ano novo de paz,amor,felicidade,e amizade.

Jeune Dame de Jazz disse...

Poisei por aqui. Mais uma vez, obrigada pela provocação Bartolomeu, obrigada pela correspondência Crolatus. A Jeune coitada não consegue pensar sem ser por heranças (e também é uma leiga na temática). Não somos todos herdeiros?! O que nos lembra a filosofia dialógica?! A minha questão não passa pela submissão, mas sim, e concordando consigo Bartolomeu, pela demarcação entre Brainwashing e Mental Manipulation (sobre a qual ainda não consigo especular). Bem, mais um, o Colin Mcginn em THE CHARACTER OF MIND diz: «So on the ordinary naïve conception of the self we can understand why such a double success can be a failure: making two selves from the brain of one would have to be seen as the creation of totally new selves, whereas the preservation of a single hemisphere could assure the survival of the one old self. Having your brain divided would not, on the ordinary naïve conception, be as good as having your life span doubled, since these require quite different things of the nature of the self». Risos

Bartolomeu disse...

Estaremos (sem saber) a "digerir" os «mundos paralelos» de Einstein, Jeune?
Rejeito completamente a conjectura de uma Jeune "coitada" e ainda mais, que não consiga pensar, usando as heranças.
E... sim, somos todos nós herdeiros e leigos, nesta e em todas as outras temáticas. Daí a minha defesa do uso dos trilhos.
;)